Férias em Tempos de Pandemia - Hotel Pestana D. João II

18.9.20

 O Verão passa rápido e este ano é muito pouco previsível o que nos espera nesta nova etapa que se avizinha de regresso às aulas e ao trabalho. 

Sentimos que precisávamos de mais uns dias tranquilos, na praia e onde estivéssemos verdadeiramente de férias, claro que com todas as normas de segurança anti-COVID asseguradas.

Decidimo-nos pelo Pestana D. João II em Alvor, que achámos ideal para famílias, por ser na praia, por ter piscinas interiores e exteriores (que os miúdos adoram), muito espaço ao ar livre onde as crianças podem correr, brincar e gastar as energias. Onde podemos aproveitar esse espaço para jogar mini-golf, para brincarem no parque infantil, todo equipado com desinfetante e álcool-gel, ou simplesmente para estar lá fora, que depois de tanto tempo em casa todos nós tanto precisamos.

Para podermos decidir se iríamos ou não, consultámos todas as medidas de segurança anti-COVID e pareceram-nos todas muito bem. Também optámos por fazer as refeições no hotel por nos sentirmos seguros, a comida ser óptima e assim diminuirmos a possibilidade de contrair o vírus em restaurantes fora do hotel. E esta decisão ajudou bastante a podermos descansar de facto.

Ainda bem que fomos. Hoje tenho a certeza que foi a decisão acertada e que estes foram dias muito importantes que nos permitiram recarregar baterias tão necessárias para esta nova etapa de regresso às aulas que se avizinha.


Mãe e bebé ao colo






Aqui pudemos estar com tranquilidade sem ter que sair para nada, sem ter que pegar no carro, a fazer o tempo render verdadeiramente naquilo que é mais importante: Estarmos juntos.




Para além desta vista maravilhosa, também tinha já o SPA a funcionar por marcação e tudo com as devidas medidas de segurança e o ginásio também. Apenas duas pessoas podem partilhar o ginásio ao mesmo tempo e pareceu-me tudo bem distanciado e seguro.




Ainda no capítulo das medidas de segurança anti-COVID, as refeições todas tiveram que ser marcadas para garantir o número de pessoas na sala de refeições que permitisse o distanciamento e também houve sempre a possibilidade de fazer as refeições ao ar livre na esplanada.




A Sofia aprendeu agora a brincar com o pezinho e até lhe dá papa quando ela também come...





Quanto ao resto, esta fotografias falam por si. De tal forma que foi super-difícil para mim escolher só algumas e se fosse por minha vontade voltava para lá agora.
Tão bom...





























Dia Nacional do Psicólogo - Ser Psicólog@ em Tempos de Pandemia

4.9.20

 




Viver em tempos de pandemia, sabemos agora que não é fácil. Cada um de nós sabe que dificuldades lhe trouxe. A mim particularmente, que sou psicóloga clínica e professora em pós-graduações onde os meus alunos são psicólogos e cada um de nós tem acesso a muitas vidas, verdadeiro acesso a muitas vidas, temos muita noção do peso que tudo isto tem tido. E este peso, o da dificuldade do outro com quem  estamos a trabalhar, também pesa sobre nós.

Este ano a dificuldade tem sido tanta nas vidas que acompanho, que tomei a decisão de não tirar mais que meia dúzia de dias de férias para que pudesse trabalhar todas as semanas, para que pudesse ajudar na dificuldade de cada um tudo aquilo que consigo. E como eu, muitos.

E esta batalha continua, não sabemos por quanto tempo, não sabemos de que forma, não sabemos com que contornos. Sabemos que estamos cá para dar o nosso melhor.

Por tudo isso, soube ainda melhor ouvir estas palavras do Presidente da República, da Ministra da Saúde, do Ministro da Educação e de todos os outros nomes de referência que já aqui falaram e que vão falar ao longo do dia,  que hoje aqui deixo e dedico a todos os psicólogos:


 

Feliz Dia Nacional do Psicólogo. Feliz dia, colega!

Férias em Tempos de Pandemia - Eden Resort

18.8.20
Férias em Família em tempos de Pandemia


Este ano foi muito duro até agora e todos estamos muito precisados de férias. 

Inicialmente pensámos em não sair de férias e ficar em casa para nos protegermos o mais possível do vírus. No entanto a necessidade de sair de casa, esta casa que tem sido casa, trabalho, escola, parque infantil e tudo o que temos vivido nos últimos meses, intensificou-se e achámos que tínhamos mesmo que procurar um local que nos permitisse sentir-nos de férias.

Isso implicava ser um local que gostássemos e onde nos sentíssemos seguros.

Após a nossa ótima experiência em Viseu, ainda durante a última semana de aulas em casa, pensámos que se assegurássemos as premissas necessárias a sentir-nos seguros, poderíamos ter uns dias de intervalo nestes tempos de tudo em casa.

A notícia de que o Eden Resort iria reabrir e remodelado, deu o empurrão final e lá fomos.

Nesta fase de pandemia certificámo-nos de que as condições de segurança estariam presentes e o que encontrámos no Eden Resort foi tudo isto que já nos tinham dito telefonicamente e que nos fez ter a segurança de que necessitávamos para ir:

- É obrigatório o uso de máscara;
- Há distribuidores de álcool-gel em todas as áreas comuns, incluindo na entrada do recinto das piscinas e do parque infantil exterior também;
- Tapetes de desinfeção à entrada das zonas comuns;
- Nas refeições buffet a utilização das máquinas de distribuição de bebidas, torradeira e outros pontos comuns, é feita pelos funcionários a quem pedimos o que necessitamos e que e nos vêm trazer às mesas;
- O restaurante é amplo e tem esplanada. Nós optámos sempre por comer na esplanada;
- Na zona das piscinas, as espreguiçadeiras estão a boa distância;
- O Kids Club está a funcionar mas apenas com atividades ao ar-livre;
- O SPA não está a funcionar normalmente, mas as massagens podem ser marcadas e serão ou na espreguiçadeira junto à piscina exterior, ou numa das espreguiçadeiras do terraço da nossa Villa;
- A equipa do hotel é sujeita a testes COVID semanais;
- Todos os quartos ficam livres pelo menos por 24h entre hóspedes.
- Para além destas medidas mais visíveis, há ainda outras. Pode consultar tudo aqui. 

Nós ponderámos, tendo sempre em conta não só estas medidas, mas também o facto do Eden Resort ter mesmo muito espaço ao ar livre (são 11 hectares), 5 piscinas, as villas são casinhas individuais que não têm que partilhar escadas, entradas, elevadores, não têm espaços comuns e pareceu-nos seguro para uns dias de férias.

E ainda bem que tomámos a decisão de ir. Os miúdos adoraram, basta dizer que há várias piscinas e o AquaFun Park fez as delícias deles. Eram os primeiros a chegar e ou últimos a sair.

Foram dias muito tranquilos em que nos sentimos seguros e em que conseguimos estar e sentir-nos mesmo de férias. Não é necessário sair do resort para nada, se não quisermos. Há desde um pequeno mini-mercado, a lavandaria, há tudo o que precisamos por lá. As vilas estão equipadas com tudo e mesmo quem vai com um bebé, como nós fomos, não tivemos necessidade sequer de ir a Albufeira para fosse o que fosse.

Os dias foram ótimos, mas não foram suficientemente grandes para dar para tuuuudo o que os filhotes quiseram fazer. Por isso já me estão a pedir para voltarmos, e tem que ser ainda antes da escola começar para poderem ir ver os camaleões com o jardineiro, dar comida aos peixes com as dinamizadoras do Kids Club e jogar ténis, pelo menos...

Adorámos. A equipa é ótima e muito atenciosa. Fica fácil sentirmo-nos em casa.


Férias em Família em Tempos de Pandemia

https://combicharocoscarpinteiros.blogspot.com

https://combicharocoscarpinteiros.blogspot.com

https://combicharocoscarpinteiros.blogspot.com

https://combicharocoscarpinteiros.blogspot.com

Férias em Família em Tempos de Pandemia

https://combicharocoscarpinteiros.blogspot.com

https://combicharocoscarpinteiros.blogspot.com

https://combicharocoscarpinteiros.blogspot.com

https://combicharocoscarpinteiros.blogspot.com

https://combicharocoscarpinteiros.blogspot.com

https://combicharocoscarpinteiros.blogspot.com

https://combicharocoscarpinteiros.blogspot.com

https://combicharocoscarpinteiros.blogspot.com

https://combicharocoscarpinteiros.blogspot.com

https://combicharocoscarpinteiros.blogspot.com

https://combicharocoscarpinteiros.blogspot.com

Posso Ser Alentejano?

18.8.20



A minha primeira identidade é com o Alentejo. Eu sempre disse que é com o Alentejo que mais me identifico e antes de qualquer coisa, eu sou Alentejana.

Sou-o pelo valor das pequenas coisas, pelo respeito ao espaço e ao outro, pelo valor do tempo, pela consideração por tudo o que vemos e perdemos de vista na nossa planície. Pelo valor do trabalho e pelas nossas pessoas. Sou-o d'alma, de essência.

O Alentejo nunca irá sair de mim, eu nunca seria a mesma sem ele.

Este ano, com receio de não saber não abraçar, não estar perto, não estar com os meus, decidi não ir. Tenho muito medo de poder ser eu a levar para lá este bicho que nos proíbe as tardadas à mesa, os cafés com tempo, as deliciosas conversas demoradas, os dois dedos de conversa com todos os que encontramos pelo caminho...

Mas tem-me doído muito. 

Hoje quando eu ouvia com atenção e apreensão estas notícias dos novos focos de COVID-19 em vários pontos do Alentejo, ouço o Afonso dizer:

- Mãe, posso ser Alentejano?

O meu coração tremeu de emoção e orgulho. 

Perguntei porquê?

- Porque gosto muito da terra.

É um bom princípio. Vou ensinar-te que só esta terra tem esta magia e o tanto que podemos ser com ela.


(Saudades. Tantas...)


Viseu - Roteiro de Passeio em Família

15.8.20



Na última semana de aulas em casa, o pai teve o seu primeiro trabalho presencial pós-quarentena. Foi em Viseu e nós resolvemos ir todos até Viseu, cansados que estávamos todos de estar há meses sem sair de casa, e uma vez que quer o trabalho, quer a escola eram on-line e os podíamos fazer de onde quer que fosse desde que houvesse ligação à Net.

Assim fomos todos até à Beira Alta, zona que aconselhamos a quem agora nas férias ou num fim de semana queira conhecer e passear por lá. Achámos que tudo estava muito tranquilo e sempre com as medidas de segurança agora necessárias nos cuidados com o coronavírus. Sendo interior, agora no Verão também tem tido menos gente, que nesta altura procuram mais o litoral e as praias, e visitámos locais de interesse que gostámos muito de conhecer.

Deixo-lhe aqui o nosso percurso, para que possa visitar também e aproveitar estes dias em família.

Começámos por ir diretamente a um museu que criou muita expectativa cá em casa: O Museu do Quartzo.



E porquê tanta expectativa?
Cá em casa os filhotes são fãs do jogo Minecraft, um jogo que seguramente se tem miúdos destas idades já conhece, e que consiste em construir mundos e sobreviver nesses mundos construídos e onde uma das matérias-primas é o quartzo.

Com esta situação de pandemia, eu não sabia se o museu estava aberto, mas dirigido-nos lá e fomos ver...




Só a envolvência do local onde o Museu se insere já vale a visita.
O Museu do Quartzo fica sobre a zona onde funcionaram as minas de quartzo e o local é de uma beleza natural que vale a pena conhecer.



Foi preciso tocar à campainha, mas prontamente alguém veio logo abrir, com  máscara e álcool-gel disponível para nos acompanhar na visita.

Aqui foi possível observar ao vivo minerais que só conheciam de ver no jogo e adoraram.

Éramos os únicos visitantes do museu e os guias usaram sempre máscaras. Foi uma experiência em que no sentimos sempre seguros.

 








Adorámos o museu e a atenção que nos deram, a visita foi ótima com todo o tempo e atenção que precisámos. A única coisa que não estava a funcionar, por medida de segurança a propósito da pandemia  e que também deve ser muito giro, são os quadros interativos. Para os experimentarmos teremos que voltar em tempos pós-COVID.

Saídos do museu, continuamos a subir pela estrada que nos levou ao museu e fomos espreitar o Miradouro de Santa Luzia e a esta que este tem. 

Fez-nos bem estar ao ar livre, desfrutar da natureza e ver a vista ampla, sentindo-nos sempre seguros pois não havia mais ninguém por ali.



Dali seguimos para o Museu do Linho, mais uma vez éramos os únicos visitantes. É necessário entrar de máscara, a senhora que nos recebeu e nos fez a vista guiada também estava de máscara e lá fizemos a visita.

Mais uma vez houve tempo para todas as perguntas e muita disponibilidade da parte da nossa guia, aprendemos muitas coisas sobre como era a vida de antigamente, todo o processo do linho desde pintar até ao tecido e aprendemos que as sementes de linhaça que colocamos nos cereais são as sementes do linho.



Deste museu seguimos para Viseu cidade, pareceu-nos ótima para famílias e andámos muito a pé por aqui. Como estamos em tempos de pandemia, privilegiámos as visitas ao ar livre. Fomos ver o centro da cidade, o Jardim das Mães, a Rua Formosa e a Estátua do Aquilino Ribeiro.







Em família privilegiamos sempre os passeios ao ar livre, mas agora, com a questão do vírus, ainda mais.  Passeamos no Jardim Tomás Ribeiro e no Parque Aquilino Ribeiro, cheio de árvores e sombras, ótimos para corridas e brincadeiras, mas com os baloiços interditos devido à pandemia.

Visitámos também a Sé Catedral de Santa Maria, o Adro da Sé e a Igreja da Misericórdia. Já não fomos a tempo de visitar o Museu Grão Vasco, que ficou agendado para a próxima vez. 
Dali seguimos para Praça D. Duarte, onde se encontra a estátua de D. Duarte, em homenagem a este rei que nasceu em Viseu, e jantámos também por ali onde há muitas esplanadas, mas como éramos os únicos clientes no restaurante que escolhemos, optámos por jantar dentro do restaurante. 




Gostámos muito da zona, das pessoas que foram sempre carinhosas e atenciosas connosco e sentimo-nos seguros em relação às medidas praticadas anti-coronavírus.

Uma zona e que percurso que aconselhamos e fazer em família.
Pode ver mais no destaque "Viseu" na nossa página de Instagram (Siga-nos por lá).


Dicas de Viagem

Horário de Funcionamento:
Terça-feira: 14H – 18H
Quarta-feira a Domingo: 10H – 13H | 14H – 18H
Encerrado à 2ª feira, 3ª de manhã, Natal e Ano Novo, Domingo de Páscoa e 1 de maio.
Preço: Entrada Gratuita

Horário de Funcionamento:
Terça-feira: 14H – 18H
Quarta-feira a Domingo: 10H – 13H | 14H – 18H
Encerrado à 2ª feira, 3ª de manhã, Natal e Ano Novo, Domingo de Páscoa e 1 de maio.
Preço: Entrada Gratuita

Horário de Funcionamento:
segunda-feira a sexta-feira: 08h00 - 12h00 / 14h00 - 19h00;
sábados e domingos: 09h00 - 12h00 / 14h00 - 19h00.
 Entrada Gratuita

Horário de Funcionamento:
Horário de Inverno (novembro a abril):
Terça: 14h00 - 17h30
Quarta-feira a domingo: 10H00 - 12H30 | 14H00 – 17H30

Horário de Verão (maio a outubro):
Terça-feira a domingo 10H00 – 12H30 | 14h00 - 17h30
Encerra: Segunda-feira, Ano Novo, 1 de maio, domingo de Páscoa e dia de Natal
Entrada:
Bilhete normal: 1,5 euros
Crianças até aos 12 anos: gratuito


Horário de Funcionamento:
Terça-feira a domingo das 10h às 13h e das 14h às 18hh
Entrada:4€
Entrada gratuita domingos e feriados até às 13h a todos os residentes em território nacional.



Roteiro de Viagem a Viseu em Família

   

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...